Exercícios físicos reduzem perda óssea em mulheres após cirurgia bariátrica

Postado: 10/10/2019

As severas perdas de massa óssea que pacientes sofrem após se submeterem a cirurgias bariátricas podem ser atenuadas com exercícios físicos. A constatação é de uma pesquisa feita na USP com mulheres que passaram pela intervenção cirúrgica no HCFMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). 

Após a recuperação do pós-operatório, as pacientes foram acompanhadas durante seis meses em um programa de treinamento físico, incluindo exercícios aeróbicos e de força. Os dados foram compilados recentemente e um artigo sobre o assunto foi publicado no The Journal of Clinical Endocrinoloy & Metabolism.

Segundo Hamilton Roschel, coordenador do Grupo de Pesquisa em Fisiologia Aplicada e Nutrição da EEFE (Escola de Educação Física e Esporte) e da Faculdade de Medicina - um dos autores do artigo -, a pesquisa procurou investigar o possível papel terapêutico do exercício físico como estratégia para mitigar a redução da densidade mineral óssea, um dos efeitos adversos clássicos advindos da cirurgia bariátrica. 

Dessa forma, após três meses do procedimento cirúrgico, o tempo considerado de recuperação, as pacientes foram divididas em dois grupos: para um deles, foi indicado um programa de treinamento estruturado com exercícios físicos de força (musculação) e aeróbico (caminhada), três vezes por semana; enquanto o outro grupo recebeu o tratamento padrão pós-cirurgia, que inclui recomendações gerais para um estilo de vida saudável. 

Roschel explica que embora se saiba que exercícios de maior impacto sejam os mais recomendados para ganho de massa óssea, um programa de exercícios composto por exercícios convencionais como caminhada e musculação se mostrou suficiente para atenuar as perdas de massa óssea nessa população.

As pacientes, que tinham idade entre 18 e 60 anos, foram avaliadas em três períodos, antes da cirurgia, três meses após o procedimento cirúrgico (quando era dado início ao programa de exercícios) e seis meses após o início do treino, passando, entre outros, por exames de densitometria, que mediu a densidade mineral óssea de diferentes regiões do corpo - a região lombar, fêmur, raio distal (osso do braço), quadril e corpo total. 

Os dados foram coletados entre 2015 e 2018 e, segundo Roschel, todas as pacientes que fizeram a cirurgia tiveram queda da densidade mineral óssea; no entanto, aquelas que não se engajaram aos exercícios continuaram a perder massa óssea de forma significativa ao longo do período do estudo, ao passo que a perda foi atenuada de maneira bastante importante no grupo que se exercitou. 

O pesquisador destaca a importância destes resultados porque demonstram o efeito protetor do exercício sobre os ossos. Recentemente, outro grupo de pesquisa demonstrou que quem faz esse tipo de cirurgia tem mais chances de sofrer fraturas por conta desta deterioração óssea. O fêmur, por exemplo, é a parte do corpo que sofre o maior número de fratura. "E foi justamente essa região que foi mais bem protegida pela atividade física", diz Roschel.

Fonte:

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/09/25/exercicios-fisicos-reduzem-perda-ossea-em-mulheres-apos-cirurgia-bariatrica.htm

MAIS NOTÍCIAS

07/11

Acidez excessiva no estômago pode favorecer o aparecimento de úlceras

19/10

O que é Gastroenterologia?

03/10

Refluxo gastroesofágico: o que mudar na alimentação para evitar o problema

27/09

Uso exagerado de antibióticos está ligado a câncer de intestino

18/09

Prevenção e diagnóstico do câncer colorretal nos dias de hoje

Ver Todas

Rua Jussara 3413 - Zona I

87501-010 | Umuarama, PR

44 3622-2771

© 2019 - Instituto de Gastroenterologia Medicina e Cirurgia de Umuarama - Todos os direitos Reservados